quarta-feira, 9 de março de 2016

SER


Posso ser zangada ou triste,
luz ou escuridão,
raiva, serena ou multidão.

Posso ser gota de orvalho
ou torrente de luz,
abraço terno
ou vento cortante
beijo terno
ou afago lento.

Posso ser sol e maresia,
neve e fantasia,
fome, melancolia,
fragmento de mar
fúria, vento ou calmaria.

Assim sou,
e o mais que querias ver,
mas sempre inteira,
por inteiro
sempre Mulher.

©Graça Costa