quarta-feira, 20 de abril de 2016

TERNURA

Sussurra-me palavras doces
como cerejas em dia de primavera
e cobre-em o corpo com elas,
até te saciares.

Deixa que o entardecer nos envolva
e a noite nos chame
com o seu canto hipnótico
que só os amantes entendem.

Vibremos então,
ébrios de afectos
e sedentos de mais.

Façamos da noite, dias eternos
e dos dias, noites perfeitas,
em que apenas nós sejamos testemunhas silenciosas,
do tanto que se cria
no ínfimo espaço
em que mãos se tocam,
lábios se bebem
e corpos se derretem,
na imensidão do Universo.

©Graça Costa
imagem da web