sexta-feira, 29 de abril de 2016

AURORA BOREAL

Tem dias em que me sinto aurora boreal,
lambendo o teu corpo
por entre o êxtase, o espanto e a magia.

Nesses dias componho melodias improváveis
que gravo na pele e nos sentidos, como tatuagens.

Fecho os olhos e sinto as nuances coloridas do amanhecer
acariciando o corpo nu,
que em jeito de oferenda te estendo,
como paleta à espera da magia do pintor.

Mais tarde contemplo a obra
e por vezes,
um sorriso travesso
planta-se-me no rosto.



©Graça Costa