segunda-feira, 27 de julho de 2015

NO MEU SONO


Dormia.
Um fio de luz atrevido insinuava-se
ondulando no meu seio nu,
qual flor de luz
pedindo água dos teus lábios.

Dormia
e sorria,
como se no meu sono perfeito
estivesse o sonho perfeito
de uma noite perfeita.

Não queiras acordar-me, amor.

Por favor não queiras…
porque  dentro desse sorriso
tatuado na pele,
moras tu.


©Graça Costa