sábado, 15 de abril de 2017

AMBIVALÊNCIAS

Tem noites em que sinto um toque no rosto,
quase suplica,
quase dor,
quase beijo,
quase amor.

Nessas noites sou brisa,
calma,
ternura,
alma,
conforto,
que o sono embala
e o amor aconchega.

Noutras noites sou tempestade,
furacão,
estrela cadente,
doce tortura
alma ardente,
fazendo da noite, lume,
e uma fogueira no corpo ausente.

Ambivalências de uma alma errante
num corpo de amante inquieta.


©Graça Costa
foto da web