quarta-feira, 20 de maio de 2015

RECOMEÇOS


Os seus olhos eram oceanos de perda, mágoa e dor.
A pele cheirava a macio…
fragrância triste mas serena,
quase complacente
misto de canela e maresia
com um leve toque de saudade.

Por vezes abre as comportas da alma
deixando no ar o odor de feridas esfregadas com sal.

É uma dor forte,
penetrante,
honesta
com uma melancolia hesitante
e uma métrica envolvente
quase colo
ou flor de beijo.

Olhou-se no espelho…
Contemplou os seus olhos de perda, mágoa e dor.
Com carinho de mãe, guardou-os na memória …
Fechou-os …
e atreveu-se a renascer.


©Graça Costa