domingo, 17 de maio de 2015

DEIXA-ME

Deixa-me percorrer-te o perfil
até que os meus olhos parem
naquele exacto local
onde nasce o sorriso
quando o prazer nos consome o ser.

Deixa-me varrer-te o corpo
com estes dedos feitos mar,
lançar-te um brilho no rosto
e começar a sonhar.

Deixa que o mundo pare lá fora
e o nosso comece
como madrugada desflorando a noite.

Lenta,
serena e doce amante
silenciosa cumplice
dos sonhos que juntos criamos
e da magia da fusão dos nosso corpos
para lá da noite
para la de nós.

Deixa que amanheça
e a noite volte a reclamar o horizonte
mas fica...
que o tempo é curto
e ainda temos tanto para nos dar.

©Graça Costa