segunda-feira, 28 de novembro de 2016

BRISA

Hoje vesti-me de vento, penas e luz.

Parti com a alma em chamas
e coração estrangulado.

Chamei a serenidade que carrego nos olhos
e construí um lago
de danças etéreas e flamingos eternos
flutuando no horizonte.

Hoje, vesti-me de vento.

Depois, acalmei
e tornei-me apenas…
brisa.


©Graça Costa
imagem da web