segunda-feira, 17 de agosto de 2015

OUSADIA

Ousara eu ser sol para te afagar o rosto
Ser lagrima para te escorregar na pele
Ser mar para te envolver na maré.

Ousara eu ser terra
para te plantar um sorriso nos lábios,
quente como fim de tarde,
aconchego da noite,
celebração de amantes
no esteio da vida.

Ousara eu ser maresia,
ternura,
fantasia,
ladra dos teus abraços
no turbilhão profuso dos afectos.

Ousara eu apenas Ser...
e morreria plena de mim
no teu olhar…


©Graça Costa