terça-feira, 25 de outubro de 2016

PELE

Pele…
Tela de paixões inquietas,
magia serena em noites calmas,
feiticeira dos dias que nascem sem porquê.
Pele, poema.
Pele, canção.
Pele,
sinfonia de Outono em pleno verão.
Pele em espera.
Pele em escuta.
Pele sedenta da fonte das tuas mãos.
Pequena gota de orvalho,
alimento da flor da madrugada.
Pele...
Ternura.
Silêncio.
Paz.
©Graça Costa
imagem da web