sexta-feira, 5 de agosto de 2016

NA PONTA DOS DEDOS

Acordei com as mãos entrelaçadas nas tuas
e parei de respirar só para te sentir.
Nesse encontro de pele e alma
senti a magia de um amanhecer sem pressas
e deixei-me levar pelo embalo da brisa
que lá fora batia o compasso do dia.
Das tuas mãos nasceu a descoberta do encontro,
a vibração emergente da paixão
visível no delicado tactear da pele,
na subtileza do toque,
no gemido terno,
na fome do beijo,
no previsível êxtase.
Tudo bebi,
com a calma do amanhecer
e no embalo da manhã descobri,
que por vezes,
o amor começa…
na ponta dos dedos.

©Graça Costa
imagem da web